Styx: Shards of Darkness é um jogo “stealth” em terceira pessoa. Ele é uma sequência de Styx: Master of Shadow que foi lançado em 2014. O título sempre foi um pouco injustiçado em relação a outros jogos, pois sempre passou despercebido pelos jogadores. Essa série é um spin-off de um jogo ainda menos conhecido, o game de RPG ‘Of Orcs And Men’, que foi lançado em 2012.

Entretanto a premissa do jogo é muito chamativa colocando o jogador no controle de um Goblin que, de certa forma, interage com o jogador quando o mesmo morre no jogo. Falas como “Notícias de última hora: o botão “pular” está localizado no meio da sua bunda. Ou se tratando de você, eu não sei” é o que descrevem o nosso protagonista como sendo bastante carismático e isso é um dos pontos principais do jogo.

A mecânica ‘stealth’ é bastante simples, porém diferente de alguns jogos, o game obriga o jogador a sempre ir com calma e pensando em cada passo que vai dar. Há sempre a necessidade de uma estratégia para conseguir progredir, já que se você for detectado pelos inimigos, enfrentá-los diretamente não é uma boa ideia e acredite, quando isso acontece é melhor morrer e começar tudo de novo.

Os mapas muito bem elaborados dão diversas oportunidades de rotas alternativas para o jogador alcançar seu objetivo e isso é uma das coisas que empolgam no game. Fazer barulho não é uma opção muito boa já que o cenário possui alguns objetos que só de encostar emitem um som que pode chamar a atenção de todos os inimigos à sua volta. Evitar esconderijos óbvios como barris ou partes de baixo de uma mesa podem manter você vivo por muito mais tempo, já que quando você está sendo procurado esses serão os primeiros lugares onde os inimigos investigarão.

Styx possui algumas habilidades para te ajudar a passar de algumas partes do jogo. Uma das habilidades consiste em criar um clone dele mesmo para distrair os inimigos e liberar uma passagem no mapa, ou você pode optar por ficar invisível por alguns segundos para alcançar algum telhado ou buraco para se esconder. Algo extremamente bacana e que insere um teor de estratégia no jogo

A movimentação do personagem pelo cenário é um tanto quanto comum. Styx pode se pendurar nas bordas/janelas das casas e aguardar até que o local esteja limpo de inimigos, já em ambientes claros o ideal é torná-lo escuro apagando tochas que estão espalhadas pelo local. O frustrante no jogo é quando os inimigos te acham em um lugar escuro, mesmo ele estando longe de você, ou quando você pula para agarrar uma borda e Styx passa reto caindo direto para a morte, fazendo você voltar para um ponto onde terá de fazer tudo de novo.

A narrativa se demonstra bastante simples, sem nada que fará você se interessar muito pela história, mas sim pelo gameplay. O tempo de duração é bem justo, com algo entre 15 e 20 horas de gameplay você pode explorar diversas opções de alcançar os objetivos proposto ao jogador.

Styx: Shards Of Darkness é um bom jogo para quem procura e gosta bastante de uma premissa ‘stealth’, o carisma do personagem, sua mecânica e as opções que os mapas oferecem são o que farão os jogadores se interessarem mais pelo game.

REVER GERAL
NOTA
7,5
COMPARTILHE