Mega Man é provavelmente um dos primeiros jogos que eu tive o prazer de jogar e finalizar, mais especificamente falando, Mega Man X. Após jogá-lo, corri atrás de todos os outros jogos da franquia e pude, felizmente, me divertir com uma série de jornadas absurdamente bem planejadas e com personagens extremamente carismáticos.

É nisso que Mega Man: Legacy Collection 2 aposta, em trazer uma segunda chance para os novos jogadores ao redor do mundo, a nova geração, poder experimentar um pouquinho como eram os jogos de um dos personagens mais famosos da CAPCOM. E fico feliz em dizer que cara… Como é bom voltar no tempo.

Logo quando iniciei a coletânea decidi que iria jogar apenas um pouco para poder ver como estava e, para minha surpresa, horas haviam se passado quando olhei novamente para o relógio. O tempo fluiu tão rápido e eu estava tão feliz que a criança dentro deste que vos escreve retornou para a superfície e esqueceu dos problemas “de gente grande” por algumas horas. E caras… Como foi bom.

A coletânea inclui quatro jogos da franquia e da seguimento a Mega Man: Legacy Collection, lançado ano passado com os primeiros títulos da série. Na segunda versão você irá encontrar Mega Man 7, marcado pela introdução do vilão Bass, Mega Man 8, que apresentou cenas animadas pela primeira vez na história da marca, Mega Man 9, conhecido por voltar ao estilo original de arte e Mega Man 10, que marcou por colocar a disposição três personagens jogáveis.

Porém, a coletânea não para por aí. Além dos jogos, para os mais nostálgicos, existe uma espécie de “museu” contendo artes da produção dos jogos e novos desafios para os fãs que retornam esperando algo novo.

Os comandos, extremamente intuitivos, permanecem (para nossa felicidade) e isso dá um tom de “old-school” necessário nos dias de hoje, aonde tudo é explicado nos mínimos detalhes e não há espaço para descoberta, deixando muitas aventuras com a sensação de não receber a devida recompensa.

Mega Man: Legacy Collection é um retorno ao passado, porém isso não significa que é ruim. Para os saudosistas (e também para os novos viajantes na franquia) é uma experiência gostosa de presenciar e com certeza deixará todos que jogarem com um sorriso no rosto ao final.

COMPARTILHE