Hoje em dia quando falamos em dinheiro e games a primeira coisa que nos vem a cabeça é a palavra “pro-player”, que remete aos jogadores profissionais que ficam horas e horas treinando para, se derem muita sorte e atingirem os contatos certos, conseguirem entrar em algum time e disputar as maiores competições do mundo.

Durante a Game Experience, evento dentro do Rock in Rio 2017 voltado para o público fã de games, avistei de longe um estande um tanto quanto diferente. Enquanto vários estandes tinham coisas extremamente chamativas com cores vibrantes, arcades, pinballs e etc… Um estande lotado estava com “apenas” dez computadores prontos para a galera jogar dois dos mais famosos jogos do cenário competitivo atual, são eles: League of Legends e DOTA 2.

Ao chegar mais perto, fui abordado pelo Marcus Ataide, um dos cabeças por trás de uma ideia que chamava a atenção de tanta gente. Marcus me explicou que uma das coisas que mais o irritava ao jogar competitivamente eram os jogadores tóxicos (aqueles que desistem ou entregam a partida ao inimigo).

Logo em seguida ele comentou: “porém, é muito engraçado como tudo muda quando colocamos dinheiro no meio do jogo, o pessoal joga sério… Eles querem ganhar. Não importa se são R$0.50, R$50,00. É dinheiro, então o negócio se torna sério.”

Partindo desse princípio surgiu a E-Masters, uma plataforma aonde permitirá jogadores apostarem em times e ganharem com isso. Logo de cara, achei sensacional. Isso dá uma possibilidade aos jogadores casuais de conseguirem rentabilizar algo sem necessariamente precisar de um time profissional por trás e, mesmo assim, torna o jogo algo extremamente sério e “obriga” o jogador a ter uma sede pela vitória e não desistir após os primeiros cinco minutos caso tudo esteja dando errado.

De início, Marcus me garantiu que a plataforma suportará os dois jogos que estavam utilizando no evento, são eles League of Legends e DOTA 2, porém não escondeu a animação e o desejo de um dia poderem atingir o público de shooters como Counter-Strike e do mais novo jogo de sobrevivência que vem tomando a boca de todos os jogadores competitivos, Player Unknown Battlegrounds. Acredito que uma das coisas mais interessantes nisso tudo é que a partir dessa ideia, pode-se surgir uma comunidade com muito menos jogadores tóxicos, aumentando a diversão de muita gente ao invés de diminuí-la.

é muito engraçado como tudo muda quando colocamos dinheiro no meio do jogo, o pessoal joga sério…

Segundo a organização, o estande estava com listas de esperas aonde os visitantes da Game Experience se inscreviam para poderem demonstrar suas habilidades nos jogos. Todos os dias cosplayers dos personagens dos títulos jogáveis como League of Legends jogavam partidas uns contra os outros, chamando a atenção das pessoas ao redor.

Atualmente a E-Masters está em BETA fechado e você pode se inscrever clicando aqui.

COMPARTILHE